Conectar pessoas é uma das grandes artes da vida… Pensando nisso, a coluna 5XArte desta semana traz pílulas sensíveis extraídas de uma conversa virtual com Brunna Pires e Aymê Sousa, duas moderadoras do grupo Indique uma Mana – que também traz neste papel as manas Geórgia Cynara, Izadora Maia, Sophia Pinheiro, Taynara Borges e Polim.

Há pouco mais de dois anos no ar, com mais de 11 mil e 500 mulheres reunidas, o Indique uma Mana, surgiu com objetivo de criar uma plataforma para dar espaço às mulheres de Goiás ofertarem e buscarem serviços executados pelas Manas.

A casa que “era de sete mulheres” se tornou uma ponte, e tem ajudado a diminuir a desigualdade de gênero nas relações de trabalho, onde há uma discrepância salarial e de oportunidades, ofertando oportunidades nos mais diversos campos. O grupo também auxilia mulheres em outras demandas, como auxílio jurídico, ações de cunho social, apoio mútuo, etc.

Confira abaixo as respostas e Indique uma Mana você também! 

A força da Sororidade

Aymê Sousa – Há um termo muito usado no feminismo que é “sororidade”, o que é, em suma, a união e aliança entre mulheres, baseada na empatia e companheirismo, em busca de alcançar objetivos em comum. A palavra Mana significa irmã, logo acredito que a maior evidência dentro do grupo é a de irmandade entre as participantes.

Emancipação

Aymê Sousa – Os sentimentos que essa rede de fortalecimento me traz enquanto mulher são resistência, força e emancipação. Mas acredito que esses pequenos avanços para as mulheres culminou em um incômodo por parte de alguns homens, visto que o grupo foi por diversas vezes denunciado e derrubado da rede social Facebook.

Solidaridade

Brunna Pires: Diariamente temos muitas surpresas no grupo, tanto de pedido de ajuda, de oferecimento, mulheres que exercem profissões que só éramos acostumadas ver homens fazendo.  Mas, sem dúvidas, casos que mais nos marcam é quando uma mana pede ajuda e várias outras se disponibilizam. Como, por exemplo, uma mana que conseguiu um emprego de panfletagem, mas não tinha tênis pra ir trabalhar, e ela pediu no grupo um par. Foram tantas manas solidárias que a dona do post pediu pra que as demais doassem para outras manas que precisassem, pois a mesma só necessitava de um par.

Presença

Brunna Pires: Sim, muitas manas cometam que graças ao grupo conheceram outras manas, pois acabam marcando de comprar, vender, prestar serviços e de lá inicia até uma amizade, já aconteceu evento de trocas, bazar e acabou sendo na verdade foi um grande encontro, elas se conhecerem pessoalmente, ou seja, muito mais além que um grupo “virtual”.

Arte de Relacionar nas Redes Sociais

Aymê Virgínia: As relações, a meu ver, são interpessoais, mas há uma modificação nos modos de se relacionar.  Entendo que por aqui as pessoas conseguem de alguma forma manter um diálogo saudável, porém, por diversas vezes observo um crescente discurso de ódio nessas redes. No grupo mantemos um ambiente de diálogo saudável, infelizmente precisamos criar regras até para que as pessoas tenham uma conduta melhor em relação ao tratamento com o outro. Sim, creio que estamos melhorando, mas há muito que melhorar.

Brunna Pires: Acredito que as redes sociais foram criadas para conhecer pessoas, rever, reviver nosso passado, pois reencontramos coleguinhas lá do primário e isso é bem divertido. Mas a evolução está tão grande que sempre vamos além do que temos nas mãos, por exemplo, nós, criamos um grupo de indicações de serviços prestados por mulheres e hoje ele se tornou uma ferramenta de vendas, compras, conselhos, força (…).

Janaina Gomes é criativa, capoeirista angoleira, comunicóloga, dançadeira, Shiatsu terapeuta, performer, eterna estudante. Arrisca a se jogar em tudo que lhe dá na telha, especialmente, quando em boas companhias. Pílulas sensíveis de gente arteira enviar para janainagomes@gmail.com.

Camila Machado

Parceira de estripulias, historiadora, mãe e revisora nas horas vagas.

Um comentário

  • Valquíria disse:

    Adoro todas. Haja paciência pra tratar com tanta mulher junta ne gente?! Kkkk e fora que vira e mexe o grupo sai do ar por denuncias não sei de quem e não sei porque. Paciência define essas gatas!

Comente

X