Africanizando almas

O educador nigeriano Ìdòwú Akínrúlí, percussionista, baterista e dançarino respeitado em seu país de origem, hoje morador da cidade de Porto Alegre (RS), participa até o dia 28 de junho de uma série de ações chamada “Africanizando Almas”. As atividades acontecem em Aparecida de Goiânia, Goiânia e Jataí, e estão sendo articuladas por uma rede de grupos e coletivos que oferecem formação artística, política e cultural voltadas para as lutas anti-racistas, a emancipação das mulheres, o fortalecimento da  comunidades negras e periféricas, em especial sua juventude, e das pessoas LGBTTIQ. Entre as vivências programadas estão oficinas de musica, dança e língua Yorùbá e exibições de filmes. #africanizese

(foto: reprodução)

Doce infância

A dançarina, coreógrafa e arte-educadora Taíze Inácia (foto) está entre as atrações confirmadas no Festival Infantil de Artes Integradas, que acontece de 23 a 25 de junho, no Centro Cultural da UFG, em Goiânia.  Ela ministra as oficinas “Brincadeira de Danças Populares” e “Mexendo o Esqueleto”, na programação que conta também com a participação do grupo Triii (SP), Trupe Ciscense (Circo Lahetô – GO), Casquinha (GO), A Bandinha (PE), Duo Badulaque (SP) e Cia Ops (GO), com espetáculo “O Pequeno Príncipe”. Multi profissional, vale lembrar que a bela é uma super artesã e também turismóloga.  #permitidoparamenores

(foto : Marcela Garrote)

Temperar-te

O universo mitológico afro-indígena brasileiro faz parte da pesquisa corporal e cênica “Manjericão”, de Yago Araújo. A experiência cênica nasce da intenção de re-significar os sentidos do olfato e do tato tendo como foco a planta manjericão e os cheiros-memórias que ela traz.  A primeira apresentação será na terça-feira (26/07), às 19h30 no Lacena, teatro laboratório da EMAC, localizado no Campus Samambaia.  “No experimento o personagem se lança em busca de seu próprio entendimento. Uma trajetória de vida que perpassa por rios e aromas. Enfrentamentos e descobertas”, diz o artista. #temperarte

(foto: Io Hard)

  • Quando se abrem os guarda-chuvas

Conceição é uma viúva de mais de 70 anos, que se relaciona calorosamente com a plateia. Falando de seu dia-a-dia de pessoa idosa que viu seu mundo se transformar aos poucos, sem que tivesse o controle dos caminhos que a fizeram chegar até ali. É o que o público confere no monólogo “Quando se abrem os guarda-chuvas”, da atriz e coautora da obra, Fernanda Pimenta, com direção da espanhola Elena Diego e dramaturgia do carioca João Pedro Fagerlande.   O espetáculo estreou em 2011, e volta a ser apresentado na capital até o mês de agosto, nos espaços LACENA – Teatro Laboratório da Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás (27/06); Vera Cult, Setor Vera Cruz II (04/07); Espaço Sonhus (24/07) e Plano V Eventos e Cultura (01/08). Oportunidades não faltam para gente conferir a produção. A entrada é gratuita, mas “contribuições voluntárias e espontâneas serão bem-vindas”. #teatro

(foto: LayzaVasconcelos)

Cidade de Sangue

A capital do pé rachado, no árido Centro-Oeste brasileiro, é palco da graphic novel Cidade de Sangue. Escrita por Márcio Jr., a partir de argumento de Márcia Deretti, com desenhos do veterano Julio Shimamoto, a dramática trama policial “é provavelmente a mais longa HQ de toda a carreira do inconfundível desenhista”, diz o autor. Há décadas considerado mestre por diferentes gerações de leitores e quadrinistas do país, leva seu notório experimentalismo gráfico a um patamar incomum. Todas as páginas foram criadas com ferro de solda sobre papel de fax. A publicação tem lançamento marcado na Cosmos, em Brasília, e dia 30 de junho, na Mandrake, em Goiânia.  #graphicnovel #quadrinhos

(capa do livro +  foto Márcia Deretti)

Cinema de guerrilha

Três filmes imperdíveis estão em cartaz no Cine Cultura até o dia 30 de junho. “A Vida Extraordinária de Paulo de Tarso”, documentário de Leo Garcia e Zeca Brito, retrata a biografia deste incomum personagem, libertário, combativo e boêmio. O argentino “Los Territorios”, de Iván Granovsky, narra a jornada de um homem em busca de autoconhecimento, perseguindo eventos e conflitos geo políticos ao redor do mundo.  No limite entre documentário e ficção, “Baronesa” é a estreia da diretora Juliana Antunes e retrata o dia-a-dia de mulheres da comunidade que nomeia o filme.  #resistência (foto: Caíque Melo\reprodução)

FREEcção

A rima está rolando solta na Batalha da FREEcção, todas as segundas-feiras, 15h, atrás do DCE/UFG, Campus Samambaia.  A proposta é que seja uma versão reduzida dos eventos produzidos pela galera do movimento, segundo ela, a ideia “é que role na simplicidade, mas com qualidade e na caixinha de som”. Uma das batalhas do mês de junho/2018 convidou a galera para refletir sobre a violência na nossa cidade e como ela está diretamente ligada a todos nós. Lembraram o jovem Luiz Carlos, executado na UFG e os nove mortos no Centro de Internação Provisória de Menores de Goiânia, em um incêndio. Pela vida dos jovens negros, pela paz, por todxs nós.  #naresponsa (foto: redução UFG)

AME

Os DJs Fabrício Roque (GO) – foto – , Manglus (UG), JEEBZ (FRAN) e os hermanos argentinos Slim Dee (ARG) Union Saint Vincent |USV, Facu Carri, Andres Gonzalez, Cruz Ataíde  e a banda Telecópios estão entre as atrações confirmadas do festival Amor-Música-Esporte – AME, que acontece nos dias 21 e 22 de julho, em Pirenópolis.  “Dois dias incríveis vivenciando nossa atmosfera rodeada de amigos, pais, filhos, netos, sobrinhos, bichos de estimação. Além das bandas e Djs, palestras, exposição de artes e muito esporte compõem a mistura do evento.  Ainda tem responsabilidade social. parte do recurso arrecada será destinado a @apaepirenopolis.  “Se programem que quanto mais sorrisos melhor!”, convidam os organizadores. #ame #maisamorporfavor

(foto: reprodução)

O retorno

Há quem ame, há quem odeie…  Mas o que ninguém pode negar é que a Dominus Tecum mexeu com as estruturas do rock goiano dos anos 90. Antes mesmo da explosão da Planet Hemp, arrastava jovens e levantava os cabelos “dos não tanto” com músicas como “Prem Prem”, “Cainaína”, “Maria Joana”, “Pedacinho de Papel”… Katú Leão (foto), Piva Barreto, Iuri Coelho (Iurão), Yuri Roriz (Yurim), Tamiel Khan, Guilherme Batista (Guilhermão), “Iurão” Coelho, “Yurim” Roriz, Tiago Sapo Joe, Bruno Bonfá, Bruno Batata, Alessandro Augusto (Alessandragem), Pedro Gaveta, e até a bela Bebel Roriz, já viajaram nesta nave lôca. A novidade é que a banda anunciou show de 25 anos, dentro da programação do AME. A gente está curiosa para saber quem topou esta viagem no tempo.  #dominustecum

(foto: Dani Cesar)

Música para os ouvidos

Estão abertas as inscrições para os cursos das Oficinas de Música, da Escola de Música e Artes Cênicas da UFG.  São ofertadas aulas para iniciantes, vestibulandos, estudantes de graduação e profissionais, nas modalidades Composição, Piano, Canto, Violão, Violoncelo, Violino, Viola Clássica, Guitarra, Percussão, Saxofone, Teoria, Percepção Musical. A novidade do semestre são os cursos de Flauta Doce ou Transversal e Regência, que será ministrado pelo excelente professor Wdemberg Silva (foto), responsável pelas aulas de canto e pelo Coral das Oficinas.  Ensino de qualidade, preços acessíveis e professores qualificados. As inscrições vão até 20/07/2018 e o início das aulas 14/08/2018. Para saber acesse o site e as redes sociais @oficinasdemusica.  #músicaparaosouvidos #oficinasdemúsica #emac

(foto: Agno Santos)

Ligado no Volt

Ricardo Darim divide seu tempo entre as bandas Mechanics e D.D.O, e o estúdio Volt.  Crava o número de mais de 500 artistas, de todos os gêneros e estilos, que passaram por suas mãos desde que começou a trabalhar como produtor musical em 2006.  Vê a produção em Goiás em plena forma, muitos artistas e bandas compondo, gravando discos, singles, vídeo clipes, produzindo materiais ao vivo, fazendo shows. “Talvez se o Brasil estivesse em uma situação econômica mais estável, a quantidade de bandas e artistas seria ainda maior. Mas não reclamo, felizmente os trabalhos vão bem e sou muito grato por produzir e fazer dessa arte minha profissão. Que não nos falte música, jamais!”, falou com exclusividade para nossa coluna.  #volt #studio #produção

(foto: acervo pessoal)

Goiania Noise – 24ª edição

“Quem achou que não ia ter Goiânia Noise Festival este ano? Achou errado, otário!” A chamada é o convite-porrada que está na página que anuncia a 24ª edição desta que é uma das maiores festa do rock independente brasileiro.  Como de costume, a galera da Monstro escolhe uma artista foda para criar a arte do evento, que este ano é de Kin Noise (Kin Trampastudio). O trabalho do ilustrador pernambucano, natural de Recife, é influenciado por HQ’s dos anos 80 e 90, filmes B e Cultura Custom. “Tem como assinatura um estilo sujo e detalhista.” Resta ficar ligado para saber mais detalhes da programação que ainda está no forno. #goianianoisefestival #goianiarockcity

(foto: reprodução cartaz)

Afrocena

A partir do dia 12 de julho, acontece no município de Cavalcante, a Mostra de Teatro Afro Cena.  Estão confirmadas as participações do Ilê Aiye, primeiro bloco afro do Brasil e Bando de Teatro Olodum (foto) no evento que tem entrada gratuita.  Um mini curso em produção cultural para os jovens Kalunga e afrodescendentes também compõe a programação. Eles estão aprendendo a elaborar projetos e já trabalham para incluí-lo no edital de Audiovisual, do Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás. “Vidas Negras importam!!! Racismo é crime e pronto!!!! Lutemos!!!”, são frases que ilustram o evento na web.

(foto: JP Meirelles)

Movimento em preto e branco

Maria Buzanovsky leva sua arte fotografica a Köln, na Alemanhã, quando apresenta seu trabalho na exposição Movimento – Brasil. Passinho. Capoeira, de 30 de junho a 15 de julho. Natural de Niterói (RJ), a moça que também é historiadora, é convidada frequentemente para registrar os principais encontros de capoeira pela Brasil e pelo Mundo. Premiada pela Unesco em 2011, por uma série sobre a festa de Yemanjá, ela começou a se interessar pelo registro de movimentos de cultura popular ao acompanhar a pesquisadora Adriana Facina, da UFF, especialista em funk. #PB #fotografia #eurotrip #movimento

(foto: Maria Buzanovsky)

Antiqué #1

Rodrigo Lima herdou de sua mãe Zilca a paixão pela arte e pelas antiguidades.  Juntos viajaram muito, visitando Galerias de Arte, Museus, e eventos de arte. A Chez Anna Artes e Coisas, de propriedade da família, já vendeu para os principais ateliês de artistas plásticos e galerias. Atualmente promove todo primeiro sábado do mês a Primeira Feira de Artes e Antiguidades “In Doors”, entre o Setor Nova Suíça e Jardim América, bem próximo a Praça. Nova Suíça. “Trazemos exposições super atrativas de diversos artistas sempre no andar de cima, na sala Grand Expo e no andar de baixo ficam as peças de antiquários locais, que vão do rústico a muranos italianos, decorativas antigas, vasos coloridos ou em louça de diversas nacionalidades. A próxima feira é dia 7 de julho, quando será aberta a exposição “Do princípio ao fim”, de Carlos Catini.

(foto: divulgação)

Para se lambuzar

Fruto da parceria entre Roberta Soares e Daniel Beiro Bendjouya, a Lambuze está no mercado desde 2015. Surgiu da idéia de elaborar produtos naturais e artesanais, em receitas que primam pela redução de sódio e açúcar, sem corantes ou conservantes. Atualmente a linha conta com um mix de oito produtos, entre geleias, temperos, molhos e antepastos, que podem ser encontrados em quase 20 pontos de vendas, em Goiânia e Pirenópolis. Todos os sábados, o Mercadinho Natureba (Av. Ricardo Paranhos, 708) recebe uma degustação irresistível, onde as pessoas podem adquirir os mimos, que também têm versão para presente. #deselambuzar (foto: acervo pessoal)

Saúde Integral

Muito bacana a iniciativa do Centro de Referência em Medicina Integrativa e Complementar, em parceria com ISIONCO (RJ), que realiza um estudo para avaliar os benefícios oferecidos pelas Terapias e Práticas Integrativas à Saúde de mulheres com câncer de mama e homens com câncer de próstata. Acupuntura, Auriculoterapia, Reiki, Tai Chi, Chi Kung, Lian gong, Arteterapia, Florais, Aromaterapia, Musicoterapia, Meditação, Yoga estão entre as práticas que serão utilizadas para avaliar os pacientes cadastrados.  Para gente se inteirar dos seus benefícios… Outras informações: 3201-3603 /3604 (Cremic) #saúdeintegral

(foto: reprodução)

Pratique e tudo virá

Acontece em Goiânia entre os dias 28 de junho a 1º de julho, a terceira edição do workshop Ashtanga Yoga – Origem, Filosofia e Prática.  Ministrado pelo professor Leandro Lima, do Centro Integrau, a formação conta com estudos sobre a História, os Fundamentos, estudo teórico e prático das posturas, envolvendo nome, significado, descrição, anatomia, benefícios, além de praticas guiadas e Mysore. Informações: 62 3278-4324 /98232-1824. #namastê

(foto: reprodução)

Politicando

O Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás tem orçamento próprio, estipulado em lei, de 0,5% da arrecadação líquida do Estado. O que a lei determina nem sempre é cumprido pelo Poder Público e, entra ano sai ano, são várias as questões impedindo que o dinheiro chegue ao seu destino final, ou seja, aos fazedores de arte do Estado. A novela continua em 2018, e os artistas se mobilizam para cobrar os repasses de 2016 e 2017, em meio ao jogo de empurra-empurra, entre Secretária de Educação e Secretaria da Fazenda.  #liberaofundo  #fundodecultura

(foto: Ângela Macário – reprodução A Redação)

Janaina Gomes é criativa, capoeirista angoleira, comunicóloga, dançadeira, Shiatsu terapeuta, performer, eterna estudante. Arrisca a se jogar em tudo que lhe dá na telha, especialmente, quando em boas companhias. Pílulas sensíveis de gente arteira enviar para janainagomes@gmail.com.

Camila Machado Parceira de estripulias, historiadora, mãe e revisora nas horas vagas.

Comente

X