Pai, aqui pode entrar com cachorro! Por que a gente não trouxe o Xico?”.

Eu mal sabia que essa frase abriria um portal para o inferno da torração de saco. Imaginei que seria só mais uma pergunta das mais de três milhões que todo pai e mãe respondem todos os dias. Não. Essa era diferente. Inauguramos uma nova era em casa.

Minha caçula ama animais desde que ainda rastejava a barriga no chão no apartamento em que morávamos. O Xico já era nosso animal de estimação. E ela não o deixava quieto desde o momento que adquiriu alguma capacidade de locomoção.

Ela não é do tipo criança normal. Assiste documentários de animais no Discovery, pede para comprar livros de bichos. Imagino só se ela fosse do tempo do chocolate Surpresa, com fotos colecionáveis dos animais. Meu orçamento não aguentaria tanto gasto com chocolate.

Deixe-me voltar a frase que desencadeou esse texto. Aos sábados, minha mulher trabalha o dia inteiro. Fico responsável pela pauta da casa e pela baixinha. Estávamos na rua resolvendo tudo aquilo que os dias ordinários não deixam e parei em um bar astral do Setor Oeste para tomar aquela antes do almoço que aprendi com Chico Science. Na porta, estava a placa:

AMBIENTE PET FRIENDLY

Aqui seu animalzinho é bem-vindo

Acabou a paz. Ela entendeu que, em alguns lugares, cachorros não são problema. Agora, a todo lugar que vamos a pergunta inevitável sobre levar o Xico vem na sequência.

Vamos para a escola”

Posso levar o Xico?”

Vamos comprar uma carne”

Posso levar o Xico?”

Vamos ali no vizinho pegar uma mexerica”

Posso levar o Xico?”

Vamos tomar a vacina de gripe”

Posso levar o Xico?”

Temos três cachorros, um gato e mais um tanto indefinido de galinhas. Ela só cita o Xico como animal pet friendly pois conhece seu gado.

O Oliver é um labrador idoso que precisa mais de sossego do que agitação. O Lucky é um vira-lata pouco sociável que apelidamos de mordedor – por motivos óbvios. O Mingau, o gato, é mais amigável que o Lucky, mas ainda é um gato. Só sobra para o Xico, nosso primeiro animal, que fica com o dever de satisfazer o fetiche exibicionista pet de minha caçula. Ele é um lhasa idoso, rabugento e sistemático. Só que não é agressivo. Para seu próprio azar.

Amanhã, sabadão, temos um evento da Acerva Goiana (Associação dos Cervejeiros Artesanais de Goiás) para ir. A indefectível pergunta, é claro, veio. Já havia checado antes e, sim, o ambiente aceita animais.

Você não imagina o tamanho do sorriso que brotou no rosto da garota. Ela foi na folhinha que fica no seu quarto e circulou o dia 08 de junho. Fez uma setinha e escreveu: Festa de cerveja com o papai que vou levar o Xico.

Pensa num coração paterno que enterneceu…

Ela está empolgadíssima com a festa. Eu também – 500 litros de cerveja caseira me deixam sempre animado. Só não sei se o Xico vai gostar tanto da festa quanto nós dois. Paciência.

Comente

X