OpiniãoOQRTendência Pablo Kossa

Apitou, começou, quarentenou

17 de março de 2020 4 Comentários

Começou minha quarentena. Hoje foi o primeiro dia que mudei todas minhas atividades profissionais para casa. Comprei um equipamento básico para um estúdio improvisado, meu celular e WhatsApp não param de mandar notícias e orientações do trampo, estou escrevendo um monte em meu computador. Não sei por quanto tempo minha rotina será assim.

 

Na China, somente após oito semanas de restrições que as autoridades da saúde pública flexibilizaram algumas das rígidas regras de quarentena. Ou seja, nessa perspectiva, nossa rotina de confinamento domiciliar seguiria até meados de maio. Tempo pra cacete.

 

Já está claro para todos, menos os lunáticos, que vivemos um momento peculiar da humanidade. Daqueles que estarão nos livros, trabalhos acadêmicos esmiuçarão os detalhes, tiraremos lições que passarão de geração para geração. A proliferação desse maldito coronavírus já é um marco, uma fronteira que cruzamos e que ainda não conseguimos prever onde chegaremos. E só nos resta fazer o máximo possível para que esse destino seja o melhor possível.

 

Minha mulher ainda não conseguiu transferir o trabalho dela para nossa residência. A chefia não enxergou necessidade dela permanecer em atividades remotas. Não acredito que essa decisão se sustente por muito tempo.

Nossa caçula teve as aulas suspensas. A escola encaminha as atividades pedagógicas possíveis de monitorarmos em casa. Com a esposa no trampo, eu quem acompanho as tarefinhas. A de hoje foi uma pesquisa sobre o Dia Mundial da Água, comemorado em 22 de março. Separei uns três vídeos de Youtube sobre o assunto, salvei um texto do Brasil Escola para que a baixinha lesse e pedi uma redação com mínimo de linhas. Ela está produzindo o texto. Vamos ver o que vai sair.

Para depois de finalizar o expediente, baixei no Spotify os discos novos da Letrux e do Djonga. Gosto do trabalho dos dois artistas e verei se nas novas produções eles cresceram esteticamente, mantiveram o nível ou se perderam no caminho. No final da tarde, a grama do quintal me chama – o serviço sem fim da jardinagem não descansa nem em tempos de quarentena. De noite, vou ver o novo episódio do Better Call Saul.

 

Não planejo pisar na calçada. Restrição total. Quieto, trabalhando, cuidando da casa, me divertindo, tocando a vida. O que espero que você também esteja fazendo por aí.

4 Comentários

Comente

X