OpiniãoOQRTendência Empreendedorismo

Carta aberta de Fernando Jorge, presidente da Abrasel Goiás

6 de março de 2020 Nenhum Comentário

Em 2016, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Goiás ( Abrasel Goiás), iniciou o Projeto Abrasel nas Ruas.

Desta maneira, teve início a história de sucesso, da consolidada Festa das Nações, realizada anualmente no mês de setembro, no Parque Flamboyant evento esse que entrou no calendário oficial de Goiânia concedida pelos vereadores da nossa capital.

Evento pioneiro em Goiânia, que estabeleceu um espaço democrático e acessível para a população goianiense. Em suas quatro edições realizadas, congregou milhares de pessoas que passou pelo evento, frequentadores que desfrutaram de uma programação cultural gratuita e inclusiva, bem como desempenhou um papel estratégico para a divulgação e fortalecimento do nosso segmento de bares e restaurantes e da gastronomia local tentando diminuir a informalidade que tomava conta de nossas ruas.

A Festa das Nações foi idealizada, a partir do anseio de incentivar a população, a vivenciar os nossos espaços públicos, de retomar o sentimento de pertencimento a comunidade e de cumprirmos o nosso papel social, como entidade de estimular a criação uma cidade mais criativa e inclusiva.

Goiânia, a cidade que antes encantava seus visitantes por sua animada vida noturna e programação cultural, hoje se vê refém de regras e legislações que não acompanham as demandas atuais.

Desde 2004, percebemos a tendência global em que o espaço urbano é utilizado como plataforma de inovação; projetos criativos, a classe criativa ( produtores culturais, artistas, empreendedores, urbanistas….) e os recursos culturais são vistos como parceiros estratégicos do poder público no desafio de ressignificar e de promover o desenvolvimento sustentável das cidades contemporâneas.

Infelizmente, vemos a nossa cidade caminhar ao contrario destes novos posicionamentos, e iniciativas como a Festa das Nações, que visam suprir a carência de investimento público em eventos culturais são rotuladas de maneira tão desprestigiada pelo poder público. Neste momento, é importante a reflexão se estamos construindo uma cidade funcional para a nossa comunidade ou apenas espaços públicos vazios ou contemplativo, que não provocam a conexão entre as pessoas, o envolvimento da comunidade com o local e o resgate da nossa identidade cultural. Necessitamos de maior sincronicidade entre o poder público, privado e a sociedade e compreender que as cidades se reinventam.

Precisamos ser novamente a Goiânia, dos bares, restaurantes, da arte, dos shows e festas, das feiras, precisamos de uma cidade mais cheia de vida e brilho.

Queremos um BRASIL MAIS FÁCIL PARA EMPREENDER E MELHOR PARA SE VIVER.

 

Fernando Jorge
Presidente da Abrasel

Comente

X